• Equipe wwwarpando

Confiança, cuidado, colaboração e parcerias servem “pra que” mesmo?


Certamente você já escutou uma ou mais destas palavras associadas a uma gama variada de conselhos, questionamentos, críticas, queixas, esperanças, “lições de moral”, e por ai vai. Penso que este é um conjunto poderoso de conceitos e práticas que nos são ao mesmo tempo íntimos e familiares, e estranhos e exóticos. O quanto vivemos cada um destes conceitos, ou o quanto temos memórias de experiências com eles, tem uma forte relação com sua utilidade, com os resultados de sua aplicação e de como eles atenderam uma necessidade nossa de sobrevivência.


Todos os 4 conceitos estão intimamente relacionados, sendo que vemos a confiança e o cuidado como as raízes sem as quais não experienciamos a colaboração que pode acontecer dentro/através das parcerias. Quanto mais entendermos o significado de cada um destes conceitos e a forma como se relacionam e se potencializam, mais poderosos serão os resultados positivos em nossa vida, ou seja, mais “úteis” eles se tornam. Para termos escolhas colaborativas em nossas vidas (seja na esfera pessoal, pública, de trabalho, políticas) precisamos entender que não basta termos confiança, se não estamos dispostos a olhar para as necessidades do coletivo, do outro, e ajudar de alguma forma, colocando em prática o cuidado. Assim confiar e cuidar são um binômio desejável para que se estabeleçam parcerias que, por sua vez, sejam fiéis ao compromisso de agir de forma colaborativa.


Co-laborar, é criar junto, é mais do que somar coisas já prontas e colocá-las juntas. É criar algo novo e inédito em um espaço entre as pessoas que estão em uma relação. Ou seja, colaborar é um grande desafio! Em alguns momentos de formação em Comunicação Não Violenta, escutei repetidas vezes que nós, humanos, somos essencialmente colaborativos e comunitários, MAS, nossa musculatura da colaboração está atrofiada. Perceber isso me remete imediatamente a enxergar que, se não temos o fruto-colaboração presente em nossa vida, é porque também não há sementes confiar-cuidar plantadas em nosso solo.

Mas, afinal, se colaborar é algo que por vezes nos é estranho e difícil; se estamos bem até agora seguindo nossas vidas de forma mais individualizada e não tão dentro de parcerias... pra que vamos nos incomodar trazer para o cotidiano desafios complicados, e ainda tendo de refletir sobre cuidado e confiança?

Minha resposta para este questionamento é que, se não nos dispormos a passar por este “incômodo” não seremos capazes de lidar com a vida cada vez mais complexa que estamos criando no planeta. Precisamos inclusive extrapolar a reflexão da esfera pessoal/individual, para a esfera coletiva/global. Precisamos começar a olhar com seriedade para um ser/viver sustentável, onde as parcerias e colaboração são pilares essenciais.

A mudança necessária na direção do sustentável demanda um movimento simultâneo de dentro pra fora; e de fora pra dentro, ou seja do individual para o global e do global para o individual. Muitas iniciativas estão acontecendo em uma destas direções ou em ambas. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são uma destas iniciativas que atravessam as 3 dimensões global/local/individual.


Os ODS são um plano de ação que busca fortalecer a paz universal e erradicar a pobreza em todas as suas formas e dimensões. É uma proposta para as pessoas, o planeta e a prosperidade. O lema é: “Ninguém pode ficar de fora!”, por isso foram construídos contemplando as cinco áreas de importância crucial para a humanidade e o planeta: Pessoas, Planeta, Prosperidade, Paz e Parcerias

(fonte: https://sc.movimentoods.org.br/os-5ps-da-sustentabilidade/).


Os ODS são parte da Agenda 2030 que nasce em 2015 do documento “Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”, aprovado em reunião da ONU. No contexto dos ODS todos que se identificam com os objetivos e se comprometem com o movimento de alguma forma entendem que ao falar de parceria.


Estamos determinados a mobilizar os meios necessários para implementar esta Agenda por meio de uma Parceria Global para o Desenvolvimento Sustentável revitalizada, com base num espírito de solidariedade global reforçada, concentrada em especial nas necessidades dos mais pobres e mais vulneráveis e com a participação de todos os países, todas as partes interessadas e todas as pessoas

(fonte: https://sc.movimentoods.org.br/os-5ps-da-sustentabilidade/).


Ao olharmos para o movimento dos ODS, vemos que muitas pessoas já perceberam “pra que” servem os conceitos e práticas da confiança, cuidado, colaboração e parcerias. É cada vez mais inegável (e a pandemia nos colocou em outro patamar de clareza sobre isso) que a complexidade dos desafios atuais só pode ser manejada da forma coletiva. Dito de outra forma, se não aprendermos ou (re)aprendermos a nos tornarmos coletivos, não teremos como ter uma vida sustentável. Na verdade, se seguirmos em nosso modo de vida individual, cada um por si, ou só olhando para nossos pequenos grupos de afetos e interesse, teremos uma qualidade de vida cada vez mais degradada, coisa que para muitas pessoas, e muitos outros seres, já é uma realidade infelizmente.

Fica então a questão de por onde e como começar.


Minha dica é que você olhe mais de perto os ODS, a Agenda 2030 e tudo que eles propõem. Conheça quem faz parte, exercite seu olhar crítico sobre o que está sendo proposto. MAS, o mais importante: identifique quem são seus parceiros nos desafios de seu cotidiano, olhe como anda esta relação, se ela possui os 4 conceitos que falamos aqui. E, caso não encontre muitas parcerias, descubra quais novas conexões fazem sentido para você no presente, alongue sues músculos da colaboração e vá para a prática. Crie novas parcerias, se permita experimentar essa forma de ser/viver sustentável que é tão essencialmente humana.


Por: Ângela Schmidt

Este artigo atende a 4 principais objetivos de desenvolvimento sustentável:








Para saber mais, confira outros artigos relacionados no nosso Blog:




O custo da não colaboração - Por: Reinaldo Rachid












Por que competimos? - Por Reinaldo Rachid








#sustentabilidade #colaboração #cuidado #ODS #angelaschmidt #parcerias




28 visualizações

Receba nossas atualizações

  • YouTube - círculo cinza
  • LinkedIn - círculo cinza
  • Instagram