• Equipe wwwarpando

Ética é a inteligência da alma

Em 1994 escrevi esse texto para um jornal da escola. Considerei tão atual que resolvi postá-lo aqui.


"Nos dias de hoje, ouve-se muito a palavra Ética

Muitos conceitos se misturam e se confundem quando se fala nisto: moral, valores, relativismo, religiões, leis, prazer, certo, errado, bom, mau, dignidade, honestidade.


Mas o que vem a ser ética?


De origem grega, a palavra ética vem de ethos, que quer dizer costume ou costumes: conjunto de princípios e valores que normatizam o comportamento humano. Todavia, mesmo entre os gregos, a palavra passou a ter significações diferentes, deixando de aludir aos usos e costumes e passado a designar a ciência do "dever ser humano".


A ética é o caminho que o homem deve seguir para vir a ser ou tornar-se, o que deve ser, realizando plenamente aquilo que nele é propriamente humano. Não podendo deixar de querer o bem, em cuja a contemplação consiste a sabedoria e a felicidade, o homem só poderá alcançá-la vivendo de acordo com a razão, a verdade, a justiça.


Normalmente, sob o nome de ética, o que se pede é um rol do que deve ou não ser feito, do certo ou do errado. O que muitos querem talvez não seja tão diferente de uma reedição dos mandamentos bíblicos. Mas uma lista, seja qual for, de atos permitidos e proibidos jamais se confundirá com o que é ética.


Tal demanda de regras pouco tem a ver com ética. A ética parte da filosofia que lida com a ação humana, nega que haja certos atos bons ou maus em si e afirma que o homem é livre e responsável. Cada ação praticada traz resultados que precisam ser levados em conta. Talvez o essencial para uma ética em nosso tempo seja isto: já não respondemos apenas por nossa "intenção" pelo que nos parece ser a causa interior de agirmos de tal ou qual modo. Respondemos por bem mais: pelos resultados previsíveis de nossa ação. Uma obrigação de lucidez é essencial hoje, na ação ética. Os temas fundamentais da ética são os da liberdade, da vontade e da responsabilidade.


Não se pode julgar uma ação sem considerar o que ela produz. Não se pode avaliar uma ato isolado sem avaliar o processo do qual ele faz parte.


Nenhum homem nasce ético. Nascemos ignorantes neste aspecto. O destino e a vida é o que nos ensinam. Aprendemos ética com a sociedade, com nossa inteligência com a nossa capacidade de discernimento.


Quem é ético é por amor, por amor ao ser humano à humanidade. O homem livre, responsável, ético, não prejudica aos outros porque os outros são seres humanos, e não por medo de que algum dia alguém venha prejudicá-lo.


Qual é o caminho para se encontrar essa ética de grandeza e inteligência? Fundamentalmente é a busca do autoconhecimento. É crescer em sua essência, é conhecer a si mesmo. só dá uma visão interna individual, própria e única do que a pessoa deve fazer de certo e justo. Cada ser humano é único e dada um é a lei do universo. Seguindo a si próprio o indivíduo vai ser ético sem forçar nada, natural, livre e feliz.


Um bandido age de acordo consigo mesmo porque não tem essa ética. Mas será que esta é a natureza dele? Ele está agindo assim porque está fora e sua essência, ele não se conhece. Então ele busca fora, coisas que ele não pode controlar dentro dele mesmo. E quando alguém fica dependente de coisas que não pode controlar vai tentar manipular, vai mentir, vai roubar, vai tiranizar, vai coibir. Quem não se conhece é um ser perigoso. Como ele não se domina, vai tentar dominar o outro."


Porque considero esse texto atual? A Pandemia nos escancara que não respondemos por nossas intensões apenas e sim pelos resultados previsíveis de nossas ações. Escancara a importância da busca pelo autoconhecimento e do não julgamento. Escancara a importância de uma construção coletiva, colaborativa a partir do respeito às essências, natureza, da liberdade responsável. Por: Simone Catalan

22 visualizações

Receba nossas atualizações

  • YouTube - círculo cinza
  • LinkedIn - círculo cinza
  • Instagram