• Equipe wwwarpando

Muito prazer, sou eu mesm@


Tive um colega de trabalho que uma vez usou a seguinte expressão: “boi preto reconhece boi preto...” Independente do contexto, eu não entendi a frase e pedi uma explicação.

Ele, prontamente, me respondeu que reconhecemos no outro os comportamentos que usualmente temos também. É como se eu visse no outro um reflexo de mim mesma. Reconheço no outro aquilo que me é familiar. E, o que nos é mais familiar do que a forma como sentimos e agimos? Resposta positiva e verdadeira, dependendo do nível de autoconhecimento que tenhamos desenvolvido durante toda nossa vida.


Daí vem, talvez, meu grande interesse por ferramentas de medida do comportamento, personalidade, preferências, psicometria e mais tudo aquilo que os profissionais da área chamam de análise de perfil ou assessments. Todas estas ferramentas nos ajudam a reconhecer e dar nome aos comportamentos que temos frente a várias situações do dia-a-dia. Nos apoiam a construir consciência sobre como somos, agimos e impactamos o outro com nossas formas de responder. Cada um tem a sua forma... Certa ou errada? Não dá para julgar. O que dá para perceber é o impacto, produtivo ou não, destas nossas formas de agir, no ambiente, nas relações e na obtenção de resultados que queremos.

Acho que aqui, o que fica, é a certeza de que quanto mais eu sei quais são as minhas reações frente às situações que a vida me apresenta, mais exitosa eu sou em lidar com elas. Parece até que “fiquei com o faro mais apurado” para evitar problemas. Quando a situação aparece e sei que esta me desperta uma reação de raiva que me faz responder com grosseria, e irá machucar o outro, conto até cinco e me contenho. Sei que sou explosiva e ser assim não me trouxe muito benefício.


Hoje pela manhã vi um post no Facebook acerca de um teste de personalidade. E sabe de uma coisa? Não acho que exista teste bom ou ruim... acho todos válidos, inclusive aqueles de revistas femininas ou de redes sociais. Acho que eles não foram feitos para serem certos e sim para nos darem a oportunidade de parar e pensar em como agimos, aumentando assim, cada vez mais, o autoconhecimento. Conversas honestas com gente que a gente confia, e que aposta na gente e quer ficar do nosso lado, também ajuda muito. Não que haja perdão ou não relevância do impacto que a gente provoca nestas pessoas, mas sim, mais uma vez, a clareza de sabermos o alcance de nossas atitudes. Em analogia, é como ter a possibilidade de saber exatamente onde a flecha irá e atingirá, assim que a lançarmos de nosso arco.


Para quem ficou curios@ com o teste que eu citei, está no Facebook, publicado por uma página nomeada “Fãs da psicanálise” segue o link: https://www.fasdapsicanalise.com.br/teste-do-circulo-descubra-sua-personalidade-em-apenas-30-segundos/


Pensamento do blog: Que coisas estou aprendendo sobre mim neste momento de distanciamento social? Como estas descobertas estão me ajudando ou ajudarão neste novo contexto?


Por: Lígia Mardiression

23 visualizações1 comentário

Receba nossas atualizações

  • YouTube - círculo cinza
  • LinkedIn - círculo cinza
  • Instagram