• Equipe wwwarpando

O Silêncio de cada um



Sim, eu sei... realmente prometi escrever sobre programas de mentoria, para poder apoiar quem me segue, se desejasse, a escolher um para atuar. Não consegui finalizar a curadoria e, a desculpa verdadeira também é que, ao ser impactada por este artigo e este podcast, que compartilho com vocês, senti uma enorme necessidade de escrever sobre como tenho me questionado acerca do silêncio. Isso... ausência de som... literal ou figurativo, não importa, mas com o sentido da expressão do nada.


Segue o link para quem desejar ler e ouvir o artigo que me inspirou, antes até de ler o que escrevi (rs...)


https://tab.uol.com.br/noticias/redacao/2021/02/06/ser-sonoro-5-quando-tudo-e-ruido-de-que-sons-e-feito-o-seu-silencio.htm


Hoje é sábado de Carnaval... e tem momento mais barulhento que o Carnaval? Talvez só comparado aos intensos shows de Rock Metal que tanto gosto e sinto falta!


Uma festividade tão tradicional ou um evento tão cheio de sons, num momento tão pandêmico, não fazem sentido. É sim, hora de silenciar, para a reflexão.


Curioso é o fato de que, durante todos os meus dias, desde o início desta pandemia, tenho tido 2 momentos de um suposto silêncio: logo quando acordo e um tanto pequeno antes de adormecer.

Entre estes momentos, mesmo estando em casa, são muitos sons, principalmente de vozes, nas intermináveis “calls”, “lives” ou mesmo pelo rádio ou TV. O oposto deste silêncio tem sido não a barulheira, mas sim o som do compartilhamento da expressão de ideias, opiniões, apoios, sentimentos, planos de ação, relatos de resultados, risadas, alguns choros (de incerteza, de tristeza ou de fome mesmo), latidos de cachorros e miados insistentes pedindo atenção... Tem também aqueles sons do dia, para mim meio neutros, pouco perceptíveis aqui em casa (moro quase no meio do mato) de carros, buzinas, crianças brincando e de gente indo e vindo. Com o passar das horas, o som também se escuta só no cérebro, quando da leitura de uma passagem de livro ou de uma mensagem recebida. Aparece certa angústia de não se ouvir o som de uma resposta de alguém querido ou mesmo da aprovação de uma tão esperada proposta.


É... Reflito, outra vez e entendo a razão disso estar me intrigando. Mesmo naqueles momentos quando eu achava que era silêncio, escuto minha voz ecoando no espaço entre minhas orelhas. Na verdade, o que anseio não é pela ausência de som e sim pela fluidez deste: audível, em bom tom, que soe contínuo ou nas pausas necessárias, que capture e preencha a minha atenção para me nutrir, não de ruídos, e sim de realizações. Não há nunca a expressão do nada. Há sempre a expressão, em diferentes tons, do tudo. Passível de ser captada e trabalhada de diferentes formas pelos diferentes seres.


E aí? Qual é a expressão do seu silêncio?


Por: Lígia Mardiression

LEIA MAIS





Retribuição ou Reciprocidade? - Pela Lígia Mardiression












A Gata Startupeira - Pela Pá Falcão












Quais são suas metas para 2021? - Pelo Reinaldo Rachid

22 visualizações0 comentário

Receba nossas atualizações

© Copyright 2020 WWWArpando
  • YouTube - círculo cinza
  • LinkedIn - círculo cinza
  • Instagram