Quais são as raízes da comunicação?

Terminei o último artigo questionando se não deveríamos olhar um pouco mais para o nosso Planeta. Questionando sobre as nossas essências enquanto empresas. Questões que ficaram martelando e pulsando por aqui. Portanto, resolvi dar voz a isto e me encontrei em meio a natureza. Sim, isso mesmo, a Natureza. Já ouviu falar em Biomimética? É a ciência que busca aprender com a Natureza e construir soluções e estratégias para as mais diversas áreas. Estou encantada com as mais diversas possibilidades que podem surgir, com esse caminho, que é novo para mim.


Estou lendo um livro de Peter Wohlleben, A vida secreta das árvores, em que ele conta diversos comportamentos e funções muito interessantes. Logo no primeiro capítulo ele relata a potência e as mais diversas conexões das raízes em um floresta e compara com uma árvore plantada. Enquanto na floresta existe comunicação e troca de alimento umas com as outras, inclusive garantindo a sobrevivência das mais fracas, as árvores plantadas vivem de uma forma isolada. Isso porque as suas raízes de certa forma ficam “condenadas” por terem ficado enclausuradas.


Tal relato me levou a diversos questionamentos e transposições para a realidade pessoal e empresarial. O primeiro aspecto que eu levantei foi que é ainda mais complexo pensar em reflorestamentos se o comportamento das árvores plantadas é diferente das naturais. Ressaltando em mim ainda mais a importância da preservação ambiental e de mantermos as nossas florestas de pé.


Posteriormente, comecei a fazer analogias com a forma com que comunicamos. Como que uma comunicação verdadeira prevalece e se sustenta no tempo e como informações plantadas acabam sendo identificadas, ficando isoladas e consequentemente prejudicadas, principalmente, no longo prazo. Admito que isso me forneceu uma certa esperança, frente às fakes news.


Uma outra analogia que eu fiquei pensando foi em como seria construir um sistema de comunicação que se retroalimenta. Que o conteúdo de uma pequena iniciativa se comunica com outra e que os dados, procedimentos, resultados fossem compartilhados. Afinal, como é difícil principalmente para uma pequena empresa se manter atualizada e presente nos diversos meios de comunicação existentes. Será que isso poderia vir a se tornar uma possibilidade para uma nova forma de comunicação?


Aí estão alguns aspectos e pensamentos iniciais. Conte para nós o que você pensa sobre isso. Vamos nos CONECTAR? Como podemos nos comunicar com as profundidades das raízes e não por meio da superfície? Como comunicar de forma interconectada e nos retroalimentando?


Por: Simone Catalan

Leia Mais:







Novos Olhares: Qual a essência de uma loja vender? - Pela Simone Catalan















Mundo de Paz - Pelo conselheiro Caleb Silva














A lei do esforço Grupal - Pela Pá Falcão














Quando vamos acordar? ou como vamos sair da Normose? - Pela Angela Schmidt

12 visualizações0 comentário