Um mergulho em tempos de Pandemia!

Atualizado: Mai 28

A Pandemia nos sugere um mergulho, em nossos pensamentos, sentimentos e emoções. Diante dessa proposta, seguem alguns devaneios de associação desse processo interno ao ato de realizar um mergulho no fundo do mar empresarial.


O encantamento do mergulho começa na preparação da viagem, estudo sobre o ponto — local em que será realizado, depois a estruturação de todos os equipamentos, barco, etc. etc. etc.

Todo esse processo é bem interessante mas até o momento do “passo de gigante” estamos apenas na superfície.

Ao cair na água temos um grande momento em que controle e equilíbrio são necessários. Precisamos estar com o lastro correto, controlar a velocidade da descida e ir equilibrando o ar, a respiração e a descompressão ao se aprofundar. Tudo isso com uma certa ansiedade de chegar ao fundo do mar.

Ao chegar no fundo nos deparamos com um novo mundo, ainda meio cheio de penumbras, que com o tempo o olhar se adapta. Vamos respirando com tranquilidade e vendo a beleza de uma imensidão de novas interações com a diversidade. Um espetacular convite a experiência da imersão. Às vezes pode ser meio intenso por perdas de máscaras, soltar do cinto de lastro, uma interação não muito agradável com outra espécie, um ficar preso, um corte, um se perder … enfim diversos riscos e desafios nem sempre agradáveis.


Porém, a dor, o desconhecido, os desafios, o descontrole, o se perder também fazem parte do processo. É muito bom saber que no mergulho também existe a mágica de não estar sozinha. Temos uma dupla, para acompanhar braçada a braçada dessa jornada, traçando coletivamente a rota. Do aprofundar e do retornar a superfície para se preparar para o próximo processo profundo.

Partindo para uma associação empresarial. Agora é o momento de preparação da viagem para um novo ciclo, sendo que essa é urgente e precisa ser em fluxo. Não dá mais para ficar horas e horas planejando na superfície e fazendo projeções de como será, estar no mar. É preciso se jogar na água e ir acompanhando as suas marés. Seja Ágil!


Para não se afogar é preciso manter o equilíbrio seja ele emocional, de recursos e investimentos, da segurança e acima de tudo com o social. Não dá mais para operar como um elo alheio a tudo que está acontecendo na sociedade.

Assim como no mergulho é preciso assumir o seu peso para definir qual será o seu lastro. Nas empresas será preciso assumir as vulnerabilidades enquanto instituição, enquanto times e pesquisar a fundo qual o lastro oculto de cada ator e como eles podem colaborar. Não se preocupe com o que irá encontrar no futuro. Não perca tempo com pensar como este será, construa-o. Invista o seu tempo e da sua equipe na construção coletiva. Perceba cada nova possibilidade de interação com novas espécies/parceiros. Controle as pressões que o ato de colaborar e atuar no coletivo demandam, mas faça junto. Nesse sentido, a comunicação é fundamental. Não queira resolver tudo sozinho, estabeleça suas “duplas” e aproveite as oportunidades.


Por fim, fica a esperança de uma conexão profunda com o novo mundo. Que nesse mundo tenhamos a coragem de dar “passos de gigantes”, de interagir com um forma harmônica, sustentável com o ecossistema, que sejamos capazes de enfrentar os desafios colaborativamente.


Por: Simone Catalan

20 visualizações

Receba nossas atualizações

  • YouTube - círculo cinza
  • LinkedIn - círculo cinza
  • Instagram